Últimas Notícias

terça-feira, 1 de fevereiro de 2022

Devido às festas, pandemia de Covid-19 dispara na região sisaleira

 Foto: Pedro Oliveira


Por Pedro Oliveira 

O Covid disparou na região sisaleira nesse início de ano com um crescimento assustador de casos que está sendo atribuído aos excessos de final de ano, já que mesmo com as recomendações das autoridades e as limitações impostas pelos protocolos sanitários, mesmo assim muitos eventos foram realizados no Natal e na virada de ano, eventos públicos e privados. A significativa redução de casos em dezembro do ano passado estabeleceu um clima de confiança na população de que há pandemia já havia sido superada.

Ao contrário do que aconteceu no ano de 2020, quando a pandemia apresentava elevado número de casos e não foram realizados eventos, em dezembro do ano passado muitos gestores realizaram grandiosas comemorações natalinas e permitiram a realização de festas particulares, com os resultados negativos verificados, agora alguns deles aparecem nas redes sociais com aconselhamento e orientação publica quando o correto certo seria a não permissão dos eventos verificados.

Em consequência de o vírus ter disparado, alguns gestores já pensam em retardar o calendário de abertura do ano escolar o que deve prejudicar mais uma vez os estudos de milhares de jovens da região. Segundo os Boletins Epidemiológicos divulgados pelos municípios abaixo citados, retrata o quadro atual de casos ativos da doença na região. As mortes são desde o início da pandemia. Em Conceição do Coité, são 232 casos ativos, um hospitalizado e 45 óbitos, conforme boletim publicado pela secretaria de Saúde do município dia 28. No dia 2 de janeiro esses números eram de apenas duas pessoas infectadas pelo vírus. Em Serrinha, o boletim o dia 27, aponta 101 casos ativos e 93 óbitos. Festas continuam sendo realizadas no município.

Em Queimadas, o Boletim da última sexta-feira (28), registra 224 casos ativos e 34 óbitos. Com o avanço da doença, a secretaria de Educação prorrogou até o dia 4 de fevereiro, as matriculas da rede municipal de ensino e o Encontro Pedagógico foi adiado para os dias 9 a 11. O boletim do dia 17 de dezembro não registrou nenhum caso. Vale ressaltar que a prefeitura não promoveu festa de final de ano.

Em Santaluz, o boletim do dia 28, aponta 104 casos ativos, com 49 vidas perdidas. No dia 3 de janeiro, esses números eram de 8 ativos e 48 óbitos, um aumento superior a 360% no número de casos de Covid-19, após as festas de fim de ano na cidade, com shows musicais e trio elétrico na virada do ano, reunindo milhares de pessoas. A prefeitura continua liberando eventos com a presença de até mil pessoas.

Em Ichu, município de 6 mil habitantes, o vírus estourou com o relaxamento dos protocolos sanitários. O boletim do dia 29, registra 159 casos ativos e quatro óbitos. Em Valente, o boletim do dia 28, aponta 61 casos ativos, três internados e 29 óbitos. No dia 4 de janeiro, não havia nenhum. O aumento é atribuído as três festas realizadas em 20 dias na cidade, duas privadas com milhares de pessoas e o réveillon feito pela prefeitura. Em São Domingos, são 15 casos ativos e 10 óbitos, conforme boletim do dia 26. A virada do ano, foi marcada na cidade, com festa de réveillon promovido pela administração municipal.

Páginas