Últimas Notícias

segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Ministério da Saúde inicia distribuição de doses de reforço para idosos acima de 60 anos

 capa-421-Recuperado.jpg

- Foto: Myke Sena/MS

Com uma nova distribuição de vacinas Covid-19, o Ministério da Saúde inicia o envio de doses para reforçar a imunização de pessoas com mais de 60 anos. Serão destinados 785 mil imunizantes somente para esse grupo nos próximos dias.

Outras 3,1 milhões serão enviadas para o reforço da vacinação dos profissionais da saúde que trabalham na linha de frente do combate à pandemia. O Ministério da Saúde ainda vai distribuir 2,4 milhões de doses da Astrazeneca para a segunda dose de população, por faixa etária.

Ao todo, nesta distribuição, o Ministério manda 6,4 milhões vacinas para todos os estados e Distrito Federal. Nessa pauta, são distribuídas 2,4 milhões de Astrazeneca, produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e 3,9 milhões de Pfizer/ Biontech.

Os detalhes e o quantitativo por unidade Federativa estão no 55º Informe Técnico. Leia a disponível aqui.

A metodologia adotada nesta pauta de distribuição considerou:

• A população igual ou maior de 18 anos;
• O esquema vacinal por doses administradas e;
• O quantitativo de doses que ainda faltam ser distribuídas por unidade Federativa independentemente dos grupos prioritários.

O objetivo é que todas as unidades da Federação completem os esquemas vacinais ao mesmo tempo, incluindo as doses adicionais e de reforço nos públicos já determinados pelo Ministério.

A pasta fará a distribuição para os estados e o Distrito Federal que são os responsáveis por direcionar os quantitativos adequados aos municípios. Também são eles quem devem garantir a equidade sem causar prejuízos ou privilégios à evolução da vacinação da população brasileira.

Reforço na vacinação

Nessa terça-feira (28), o Ministério da Saúde anunciou a dose de reforço para pessoas acima de 60 anos devido ao elevado risco de complicações e óbitos pela doença. A decisão foi amplamente discutida por vários especialistas na Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (CTAI) e considerou o aumento da resposta imune do organismo depois da aplicação de uma nova dose, principalmente na população mais vulnerável aos sintomas mais graves da doença.

A aplicação da dose de reforço deverá ser administrada 6 meses após a última dose do esquema vacinal (segunda dose ou dose única), independente do imunizante aplicado. Também foi recomendado uma dose adicional aos indivíduos com alto grau de imunossupressão.

As vacinas a serem utilizadas para a dose de reforço e para a dose adicional deverão ser, preferencialmente, da plataforma de RNA mensageiro (Pfizer/Wyeth) ou, de maneira alternativa, vacina de vetor viral (Janssen ou Astrazeneca).

Profissionais da Saúde

Os trabalhadores da Saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia também receberão uma dose extra da vacina. A nova etapa da imunização também deve ser realizada preferencialmente com a vacina da Pfizer. O grupo deverá receber a nova dose seis meses após o profissional ter completado o ciclo vacinal.

Mahila Lara
Ministério da Saúde

Páginas