Últimas Notícias

segunda-feira, 31 de maio de 2021

Acerola em polpa é aposta de cooperativa de Sobradinho para triplicar faturamento

                                                                        


A acerola produzida por agricultores da Cooperativa Agroindustrial Vale do Paraíso (Cooperparaíso), localizada na zona rural do município de Sobradinho, vai ser industrializada para virar polpa. Nesta semana, a cooperativa deu início ao funcionamento das máquinas e equipamentos, entregues pelo Governo do Estado, que vão garantir a agroindustrialização do produto e triplicar o faturamento da cooperativa, que, em 2020, foi de quase R$1 milhão. 

A Cooperparaíso tem se destacado no mercado orgânico com a produção de acerola, por mais de 100 famílias vinculadas à cooperativa, e que garantem uma renda aproximada de um salário mínimo. A expectativa é que, de agora em diante, a renda familiar chegue a três salários mínimos.  

Até então, as acerolas vinham sendo comercializadas, verdes e maduras, para a multinacional Sono Brasil, empresa inglesa com sede no município baiano de Nova Soure, processadora de frutos tropicais, que faz a transformação da fruta em vitamina C para o mercado europeu. 

De acordo com o presidente da cooperativa, Josivan Souza, para este ano, a expectativa é de aumentar a receita da cooperativa em 200%: “Agora vamos alcançar um mercado que antes era impossível. Vamos começar a vender a polpa da fruta, em tambor de 200 litros. Estamos testando novas frutas também, como goiaba e manga. O apoio do governo possibilitou o aumento de 30% do valor da fruta in natura e, com os equipamentos instalados, os agricultores estão incentivados a aumentarem o plantio e a ingressarem nessa nova atividade, mais rentável”.  

Os equipamentos foram adquiridos com recursos do projeto Bahia Produtiva, da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), que totalizam R$3,7 milhões, aplicados na aquisição de máquinas de sistema de lavagem, extração, pasteurização e enchimento, assistência técnica para os agricultores e agricultoras, além de energia solar que está sendo instalada na agroindústria.  

Páginas