Últimas Notícias

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Cabo da PM é sequestrado, torturado e morto em Feira de Santana

Polícia Civil trabalha com a hipótese de execução, mas ainda não tem pista de autoria




Um policial militar foi assassinado em Feira de Santana, a 100 km de Salvador, após ser sequestrado e torturado. O corpo do cabo Antônio José Pereira Braga, 49 anos, foi encontrado nesta quarta-feira (26) numa área de matagal no bairro Nova Esperança.
A Polícia Civil, que só recebeu a informação na manhã desta quinta de que o corpo é de um policial militar, já que antes o cadáver estava no necrotério do Instituto Médico Legal (IML) da cidade sem identificação, ainda investiga a motivação do crime e autoria. O velório do PM acontece na manhã desta quinta em um cemitério de Feira de Santana. 
Segundo o delegado Rodolfo Faro, titular da Delegacia de Homicídios de Feira de Santana, o corpo de Antônio José foi encontrado somente de cueca, com um fio no pescoço, outro nos pulsos e parcialmente queimado – sobretudo as mãos.
O policial foi morto por estrangulamento, não havia marcas de tiros. Segundo o delegado, o policial, que havia trabalhado no Carnaval de Salvador, havia saído de casa no início da noite de terça-feira no carro próprio, levado pelos autores do crime – o celular e a carteira com documentos também foram roubados.
“Pelas circunstâncias do crime, não se trata de um latrocínio e sim de uma execução, contudo ainda não temos pistas da motivação. A família e os colegas de trabalho desconhecem se ele sofria algum tipo de ameaça”, disse o delegado.
O cabo Braga, como era conhecido na PM, era lotado no 16º Batalhão, em Serrinha, e trabalhava em Santanópolis. Ele é nascido em Alagoinhas, mas morava em Feira de Santana, onde tem família. O corpo deve ser sepultado nesta sexta em Feira.
Em comunicado, Polícia Militar da Bahia declarou que “todos os esforços estão sendo envidados para que sejam esclarecidas a causa e circunstâncias da morte do Cabo Braga, que tinha 49 anos de idade e 23 anos de serviço prestados à Corporação”.
O 16º Batalhão de PM, em nota de pesar, afirmou que “lamenta a morte deste honrado guerreiro, externando aos amigos, companheiros de trabalho e familiares, os nossos sentimentos de mais profundo pesar".

Fonte: Correio

Páginas