Últimas Notícias

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Ex-aliada de Rui pode integrar chapa de Zé Ronaldo

Nome de Edylene Ferreira tem crescido na bolsa de apostas para a composição


Presidente licenciada da União dos Vereadores do Brasil (UVB) na Bahia, a vereadora Edylene Ferreira (PV) mostrou pouco interesse em integrar a chapa do pré-candidato ao governo da Bahia José Ronaldo (DEM), como postulante a vice. “Eu deixei na mão do presidente do partido [Ivanilson Gomes]. Me preparei para a campanha de deputada estadual e já tenho dois anos trabalhando firme. Mas o presidente do partido é a pessoa que pode dar uma resposta sobre isso. Respeito a posição do partido”, afirmou. Nos bastidores, o nome de Edylene tem crescido na bolsa de apostas para a composição. Na semana passada, Ivanilson disse, após encontro com o prefeito ACM Neto (DEM), que o PV tem “grandes chances” de estar na majoritária e lançou o nome da mandatária da UVB.
“Ele nos disse que vê com bons olhos o PV integrar a chapa e disse que tem grandes chances. É quase uma afirmação da nossa presença. Abrimos em 2016 a chance de ter um integrante do PV na chapa dele e ficou acertado que em 2018 o PV deveria integrar”, afirmou. Ivanilson Gomes relatou que o prefeito pediu que a sigla indicasse “preferencialmente” postulantes femininos para a composição. Segundo ele, dois nomes são cotados: o da vereadora de Salvador Marcelle Moraes e o de Edylene Ferreira. O verdista ressaltou, no entanto, que a agremiação pode indicar ainda os vereadores Paulo Magalhães Júnior ou Henrique Carballal.
O encontro do PV com ACM Neto, que é o principal articulador da candidatura de Zé Ronaldo, ocorreu após cobranças públicas de integrantes da legenda. Ivanilson Gomes chegou a reclamar de o aspirante ao Palácio de Ondina divulgar o apoio do Partido Verde nas redes sociais, mas sem oficializar. “Não definimos não [apoio]. O partido ainda não definiu. Inclusive, tenho visto alguns movimentos de Zé Ronaldo, mas oficialmente o PV não tem apoiado. Tenho o maior respeito por ele, mas politicamente não definimos o papel do Partido Verde neste processo eleitoral”, afirmou Ivanilson Gomes, na semana passada.
Líder do governo na Câmara de Salvador, Carballal disse que o partido precisava ser “compensado”. O verdista lembrou que agremiação perdeu o posto de vice-prefeito de Salvador quando Bruno Reis (MDB) substituiu Célia Sacramento. “Entendo que o PV precisa de uma compensação política do grupo liderado por ACM Neto e uma das formas de compensação seria a participação neste processo vitorioso que vai ocorrer em outubro”, afirmou, em entrevista à Rádio Câmara Salvador. O vereador salientou, ainda, que “não importa” se a legenda vai indicar um postulante a vice ou ao Senado. “Estamos aqui para contribuir”, frisou. (Tribuna da Bahia)

Páginas